Improviso sobre a lucidez

Improviso sobre a lucidez

Estava aqui, parado. À espera que algo saísse. As palavras viajam depressa demais para as poder agarrar. O corpo, inquieto, embora aos olhos dos outros seja impossível de perceber, fala tão alto que não me deixa ouvir os violinos que, segundo leio no ecrã do computador, deveriam estar a fazer-se escutar através dos fios brancos que me caiem das orelhas.

Reflexões sobre o tempo e outras coisas

Reflexões sobre o tempo e outras coisas

...

Eu não me importo de dar trabalho, não me importo de poder ser considerado chato, monótono, contracorrente. Não me importo porque acredito que esta vontade de querer tudo, ou quase tudo, rápido, fácil, com alto impacto, de baixo custo e de elevadas replicabilidade e versatilidade, não é apenas ilusório, é errado e contranatura.

Acredito que nós humanos necessitamos de tempo. Tempo para dormir, tempo para aprender, tempo para brincar, tempo para trabalhar, tempo para produzir e tempo para fazer nada. 

Quem disse que tempo é dinheiro? Tempo é tempo!

...